Últimas notícias, matérias ,fotos de Parelhas e Região com Macos Silva

Seja um de nossos seguidores

Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5 - Aproveite 84 9967-8543 Parelhas RN

Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5  - Aproveite 84 9967-8543 Parelhas RN
Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5 - Aproveite 84 9967-8543 De: R$ 1.898,00 Por: R$ 1.598,00 Parelhas RN

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

SITUAÇÃO NO ITEP É DE CALAMIDADE; 15 CORPOS ESTÃO EMPILHADOS NO PÁTIO DO ÓRGÃO

Uma calamidade. Essa é a descrição do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) feita pelo perito do laboratório de toxicologia Fabrício Fernandes. O perito, também diretor diretor do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública (Sinpol), afirma que a estrutura do Itep é precária e não oferece condições para atender às demandas do órgão. "A situação é a seguinte: chega um cadáver, nós fazem a necrópsia e, se a família não vier logo buscar, o corpo apodrece aqui, porque não há geladeira para guardá-lo", disse. Cerca de quinze corpos estão no pátio interno do Itep, a céu aberto, dentro de caixões do órgão. Fabrício denuncia que a geladeira está quebrada há dias.

Enquanto isso, os funcionários do órgão mantiveram a greve, deflagrada há uma semana, mesmo após o governo do estado ter feito pagamento das gratificações de plantões dos servidores do no último sábado. Eles realizaram na tarde de ontem um ato público em frente à sede do órgão para reivindicar melhores condições de trabalho, além de de protestar pela regularização do pagamento das gratificação de plantão e adicional noturno e pela implantação do estatuto do Itep.

"Nós temos aqui um laboratório desativado porque desde o início dessa gestão não se compra material, não temos insumos básicos para trabalhar. O cromatógrafo (equipamento que identifica e quantifica a presença de álcool no sangue, por exemplo) está sem gás há meses, não há mais espaço nos freezers para guardar vísceras que têm que passar por análise. Isso aqui está uma calamidade", disse Fabrício Fernandes.

Outro problema grave, denunciado pelo diretor do Sinpol, é a perda de material de perícia que deveria estar guardado para realização de contraprova a partir de pedido judicial. "Aqui ficam amostras de material que já foi periciado e serviram como elementos de investigação em crimes, como amostras de sangue e esperma, em casos de estupro, por exemplo. Nós fazemos a análise e guardamos uma amostra para, caso o juíz solicite, refazer essa análise. Todas as amostras de 2008 para trás foram perdidas porque as geladeiras quebraram", disse.

Após a manifestação em frente ao órgão, os servidores seguiram em carreata rumo à governadoria, para tentar uma audiência com a governadora. "Não fomos recebidos, mas vamos continuar nossa mobilização até sermos ouvidos", disse a presidente do Sinpol, Vilma Marinho. A reportagem do Diário de Natal tentou falar com o chefe da Casa Civil, Paulo de Tarso, mas ele não atendeu as ligações.

Gratificações

Segundo a presidente do Sinpol, Vilma Marinho, isso se deve ao fato de apenas os plantonistas de 24 horas terem recebido o pagamento. "Existem ainda os que fazem plantão de 12 horas e nada receberam de gratificações", disse.

De acordo com Vilma Marinho, o pagamento dessas gratificações foi feita de forma indevida. Ela explica que há dois tipos de servidores trabalhando no Itep. O primeiro são daqueles que trabalham em regime de plantão de 24 horas. Esses, além da gratificação de plantão, teriam direito ao adicional noturno. "A outra classe são os que trabalham em regime de 12 horas, ou seja, das 7h às 19h. São pessoas do setor administrativo que ficam de plantão". Segundo a sindicalista, esse último, apesar de não ter direito ao adicional noturno, deveria receber pelo plantão. "As gratificações são o complemento desses salários".

De Paulo de Sousa e Fernanda Zauli para o Diário de Natal

0 Comentário - Deixe seu Comentário: