Últimas notícias, matérias ,fotos de Parelhas e Região com Macos Silva

Seja um de nossos seguidores

Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5 - Aproveite 84 9967-8543 Parelhas RN

Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5  - Aproveite 84 9967-8543 Parelhas RN
Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5 - Aproveite 84 9967-8543 De: R$ 1.898,00 Por: R$ 1.598,00 Parelhas RN

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

POLÍCIA CHEGOU AO "GORDO DA RODOVIÁRIA" APÓS COMPROVAR LIGAÇÕES DELE COM DÃO E O ADVOGADO RIVALDO DANTAS

Lailson Lopes, apontado como mandante do crime.O comerciante Lailson Lopes, mais conhecido como "Gordo da Rodoviária", foi mesmo o mandante do assassinato do radialista caicoense Francisco Gomes de Medeiros, o F. Gomes. Pelo menos, foi essa a conclusão da Polícia Civil, após investigações realizadas desde janeiro. A informação foi divulgada pelo delegado geral da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Ronaldo Gomes, em entrevista coletiva concedida na sede da Degepol na manhã desta quarta-feira (23). Lailson havia sido preso no dia 21 de janeiro, juntamente com o advogado Rivaldo Dantas de Farias, que defendia o assassino confesso de F. Gomes. Na ocasião, os dois foram acusados de extorsão.
Após a prisão realizada em janeiro, a polícia começou a investigar o possível envolvimento de Lailson Lopes com o João Francisco do Santos, o "Dão", que confessou ter atirado em F. Gomes. O delegado Márcio Delgado Varandas assumiu o caso e solicitou a quebra de sigilo telefônico dos suspeitos. As investigações levaram a polícia a solicitar um novo depoimento de "Dão", que confessou ter sido Lailson o mandante do crime, e culminaram na prisão preventiva do empresário, decretada nesta terça-feira (22).
Segundo o delegado Ronaldo Gomes, dois motivos teriam motivado o assassinato. F. Gomes havia denunciado o empresário, dono de uma loja de celulares em Caicó, de utilizar o comércio como fachada para praticar diversos crimes. Além disso, o radialista trabalhava com a esposa do acusado e era testemunha de agressões praticadas por Lailson contra sua colega de trabalho. F. Gomes orientava a mulher a procurar a polícia para denunciar as agressões, o que também teria despertado o descontentamento do comerciante. Depois disso, Dão foi preso como suspeito e levado à delegacia de Caicó. A partir daí, as ligações começaram a ser feitas com intermédio do advogado Rivaldo Dantas. Naquela mesma noite, Dão foi solto por falta de provas. Com isso, às 2h45 ele voltou a falar com Lailson por telefone.
Do Portal Nominuto.com

1 Comentário - Deixe seu Comentário:

Anônimo disse...

É NECESSÁRIO ANTES DE MAIS NADA SABER A VERDADE!!! NÃO SE CONDENA ALGUÉM ANTES DE TODAS AS PROVAS.
Tem que se ter o cuidado de um inocente não está sendo condenado.