Últimas notícias, matérias ,fotos de Parelhas e Região com Macos Silva

Seja um de nossos seguidores

Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5 - Aproveite 84 9967-8543 Parelhas RN

Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5  - Aproveite 84 9967-8543 Parelhas RN
Classificados: Notebook Samsung Intel® Core® i5 - Aproveite 84 9967-8543 De: R$ 1.898,00 Por: R$ 1.598,00 Parelhas RN

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

PESQUISADORES DESCOBREM BACTÉRIA COM DNA "ET"


Não foi desta vez que a Nasa anunciou que existe vida extraterrestre, diferentemente do que muita gente esperava. A novidade é que existe vida de uma forma distinta do que conhecemos.

A agência espacial americana despertou a curiosidade generalizada desde a última terça-feira, quando divulgou uma nota oficial dizendo que anunciaria uma "descoberta que teria impacto na busca de provas sobre a vida extraterrestre".

Depois de muita expectativa, a Nasa mostrou que a novidade é uma bactéria. Mas não uma simples bactéria.


Ela incorpora no seu DNA um elemento tóxico que, em tese, não deveria fazer parte da química da vida: o arsênio.

O micro-organismo do grupo das halomonadáceas, que vive num lago numa região gélida e paradisíaca da Califórnia, substituiu o fósforo-- definido pelos biólogos como um dos seis elementos químicos necessários à vida-- por arsênio.

Submetida à privação de fósforo, em condições similares às extraterrestres, a estranha bactéria sobreviveu e se multiplicou.

"Até o momento, achava-se que todos os organismos terrestres precisavam para seu metabolismo ao menos desses seis elementos [carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, enxofre e fósforo]", explica Douglas Galante, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP.

"Encontrar um contra-exemplo é uma quebra de paradigma sobre o que é realmente necessários à vida", completa o cientista.

A descoberta, que será publicada numa edição futura da revista "Science", foi realizada por um grupo de pesquisadores chefiados por Felisa Wolfe-Simon, do Instituto de Astrobiologia da Nasa e do Serviço Geológico dos EUA.

CETICISMO
Em artigo analítico, a "Science" pondera a descoberta afirmando que, no entanto, o arsênio é muito instável na água.

Além disso, o crescimento da bactéria com o arsênio ficou prejudicado, em comparação com a mesma bactéria que tinha fósforo.

No entanto, a astrobiologia-- área que estuda a origem, a evolução e a distribuição da vida-- está em festa.

"É um artigo que quebra paradigmas", diz Galante. "Mas pode ser que essa quebra ainda não esteja completa. Pode ser que tenhamos descoberto a primeira exceção à regra", conclui.


Por: Hitamir Ramos

0 Comentário - Deixe seu Comentário: